quarta-feira, 29 de dezembro de 2010

Saudade

Uma vez disseram a uma pequena e ingénua menina, que cada pessoa que passa pela nossa vida deixa um pedaço dela em nós e rouba um pedaço de nós. Mas era algo muito distante dela, afinal ela só sabia isso na teoria. Ela cresceu e mais que na teoria ela aprendeu. Ela viveu. Ela vive isso. Saudade é uma palavra que ela descobrira o seu significado, sentindo. Saudade de quem não foi. De quem foi, de quem vai. Saudade de quem está perto de voltar. Saudade do que aconteceu e do que não aconteceu. Acho que ela descobrira também a dor de uma saudade do que não aconteceu, do que ficou nos planos, no papel. Saudade da pessoa que escreveu um bilhete e deixou em baixo da porta dizendo que não voltaria mais. Saudade de andar de mãos dadas por ai, saudade. Cada letra a saudade, para aquela doce pequena mulher, revelava a ela um dom, um amor, o imensurável significado. Saudade que ela tem é o Amor vivido, os momentos Únicos, as mais belas frases já ouvidas e Ditas por ela, é a mais pura cumplicidade, Amizade. De precisar, de necessitar do outro, é o amor que será, pra sempre nela, Eterno.

Tocando em frente

"Ando devagar porque já tive pressa
E levo esse sorriso, porque já chorei demais
Hoje me sinto mais forte, mais feliz quem sabe
Eu só levo a certeza de que muito pouco eu sei, nada sei

Conhecer as manhas e as manhãs,

O sabor das massas e das maçãs.
É preciso o amor pra poder pulsar,
É preciso paz pra poder seguir,
É preciso a chuva para florir.

Sinto que seguir a vida seja simplesmente
Conhecer a marcha, ir tocando em frente
Como um velho boiadeiro levando a boiada,
Eu vou tocando os dias pela longa estrada eu vou,
Estrada eu sou


Sinto que seguir a vida seja simplesmente
Conhecer a marcha, ir tocando em frente
Cada um de nós compõe a sua própria história,
E cada ser em si, carrega o dom de ser capaz,
De ser feliz "

(Almir Sater - Tocando em frente)



Tudo novo, de novo.

"Você pode ter defeitos, viver ansioso e ficar irritado algumas vezes,mas não se esqueça de que sua vida é a maior empresa do mundo. E você pode evitar que ela vá a falência. Há muitas pessoas que precisam, admiram e torcem por você. Gostaria que você sempre se lembrasse de que ser feliz não é ter um céu sem tempestade, caminhos sem acidentes, trabalhos sem fadigas, relacionamentos sem desilusões. Ser feliz é encontrar força no perdão, esperança nas batalhas, segurança no palco do medo, amor nos desencontros. Ser feliz não é apenas valorizar o sorriso, mas refletir sobre a tristeza. Não é apenas comemorar o sucesso, mas aprender lições nos fracassos. Não é apenas ter júbilo nos aplausos, mas encontrar alegria no anonimato. Ser feliz é reconhecer que vale a pena viver, apesar de todos os desafios, incompreensões e períodos de crise. Ser feliz é deixar de ser vítima dos problemas e se tornar um autor da própria história. É atravessar desertos fora de si, mas ser capaz de encontrar um oásis no recôndito da sua alma. É agradecer a Deus a cada manhã pelo milagre da vida. Ser feliz é não ter medo dos próprios sentimentos. É saber falar de si mesmo. É ter coragem para ouvir um “não”. É ter segurança para receber uma crítica, mesmo que injusta. Ser feliz é deixar viver a criança livre, alegre e simples que mora dentro de cada um de nós. É ter maturidade para falar “eu errei”. É ter ousadia para dizer “me perdoe”. É ter sensibilidade para expressar “eu preciso de você”. É ter capacidade de dizer “eu te amo”. É ter humildade da receptividade. Desejo que a vida se torne um canteiro de oportunidades para você ser feliz…
E, quando você errar o caminho, recomece.

Pois assim você descobrirá que ser feliz não é ter uma vida perfeita. Mas usar as lágrimas para irrigar a tolerância. Usar as perdas para refinar a paciência. Usar as falhas para lapidar o prazer. Usar os obstáculos para abrir as janelas da inteligência.
Jamais desista de si mesmo.
Jamais desista das pessoas que você ama.
Jamais desista de ser feliz, pois a vida é um espetáculo imperdível, ainda que se apresentem dezenas de fatores a demonstrarem o contrário."

(Fernando Pessoa)

Que em 2011 todos os sonhos sejam verdade! Feliz Ano novo!

Para sempre.

"Por sobre as nuvens existe um lindo céu.
Maravilhoso céu. Morada dos Anjos
Por sobre as nuvens existe um trono
cujo Rei está sentado à direita de Deus."



O que mais me admirava em você era sua luta, seu querer estar sempre, participar sempre, ajudar sempre. Mas o que mais me deixa a refletir é como eu sou seu espelho hoje, como nós eramos tão parecidas. É ouvir da família o quando eu lembro você. O cabelo, a sobrancelha, a bagunça do guarda roupa, a preferência por coca-cola sem gás. Sabe hoje eu me peguei pensando, será que eu dei realmente valor quanto eu te tinha aqui? Será que eu fui a neta que a senhora esperava que eu fosse? Será que eu não poderia ter sido mais pra você? Sabe são perguntas que eu não saberei as respostas, mas a certeza que eu tenho é que te amei, e que te amo. Mas a que mais me deixa feliz é saber que você está hoje em um lugar melhor, sem dor, sem cansaço, um lugar de amor. E além disso, sabendo o quando nós te amamos. Obrigada por ter sido a melhor do mundo pra mim! Eu te amarei para sempre.

terça-feira, 28 de dezembro de 2010

Afiliar, tomar como filho.

Isso vai muito além da amizade, é um elo, um sacramento. Sacramento de amor, de cuidado. Todo o cuidado que Deus me dá. E nesse seu infinito cuidado ele me deu você. Você pra ser a minha amiga. Depois minha irmã. E hoje muito além disso, minha segunda mãe. Pra que eu possa confiar, amar, e muito mais, ter a certeza do amor sincero que eu tenho ao meu lado. Fato, coisas, e pessoas me levaram a você. E a cada dia que te via, que trocava palavras com você, eu ia descobrindo um tesouro tão grande, tão grande, que chega a ser imensurável seu brilho e seu valor. Um tão sublime sacramento que nos uni para sempre. Afinal mesmo que tudo aconteça de errado, a algo superior que nos uni, Deus. Madrinha é sinonimo de segunda mãe. Afiliar, tomar como filho. Obrigada, pela sua loucura que me acolhe e cuida de mim. Obrigada por ser você, assim, como você é, Naira Maria.

segunda-feira, 27 de dezembro de 2010

O nosso elo.

Pensava em escrever pra você, mas o que falar se as músicas, hoje, me lembram tanto você? Cada melodia, acorde, cada letra. Eu me perco dentro desses acordes que me fazem lembrar você. Perdida, eu ouço as batidas do seu coração, que se encaixam perfeitamente no compaço da canção. É tão fantástico quando o acorde anuncia a chegada, também, das minhas batidas. Quase um grito. Um grito de saudade, de vontade. É como se eu já te conhecesse desde muito antes. É como eu te vejo, quando eu fecho os olhos, e ouço a canção feita para nós. A melodia que tanto se encaixa em nós. Cada letra do seu nome, que com as minhas formam-se um elo. Um elo de paixão. Nossa letra, nosso acorde, a nossa pestana, completa.

domingo, 12 de dezembro de 2010

Mas eu sei que não é assim ...

Eu só aceito a condição de ter você só pra mim
Eu sei, não é assim, mas deixa eu fingir... e rir.

(Los Hermanos)

sábado, 11 de dezembro de 2010

O amor escolheu nossa casa pra morar...

Como mostrar que te quero pra mim?
Como dizer tudo que eu preparei?
Como fingir se eu já me entreguei a você?
Quando me debrucei nos teus braços e descansei...

Como lembrar de você e não sorrir?
Como falar de você e não cantar?
Como saber se é certo sonhar com você?
Se eu devo seguir os seus passos e acreditar
No amor que escolheu a nossa casa pra morar

Ta faltando um beijo no final
Pra mostrar o quanto é natural

Gostar de alguém como você
Que insiste em dizer
Que só me quer bem

Como lembrar de você e não sorrir?
Como falar de você e não cantar?
Como saber se é certo sonhar com você?
Se eu devo seguir os seus passos e acreditar
No amor que escolheu a nossa casa pra morar

(Faltando um beijo - EVA)

sexta-feira, 10 de dezembro de 2010

Só por ti ...



Só de coisa boa eu vivo
E se ando à toa, não ligo
Praia e uma canoa preciso
Pra ficar de boa, sorriso

Só de coração me entrego
Só em uma canção, navego
Só no seu olhar sincero
Pra te ver chegar, espero

De viver em paz, desejo
Só um pouco mais seu beijo
Você viajar... depois
Se você ficar... nós dois

Só por te lembrar, saudade
Só por te querer, vontade
Pra te namorar, amor
Só por ti viver, eu vou

(BANDA EVA- SÓ POR TI)

terça-feira, 7 de dezembro de 2010

Inconsciente


"Escolha feita, inconsciente
De coração não mais roubado
Homem feliz, mulher carente
A linda rosa perdeu pro cravo
"



segunda-feira, 6 de dezembro de 2010

A brincar de amar, no mar ...




"Tenho a impressão de ter sido uma criança brincando à beira-mar, divertindo-me em descobrir uma pedrinha mais lisa ou uma concha mais bonita que as outras, enquanto o imenso oceano da verdade continua misterioso diante de meus olhos."

(Isaac Newton)

OBS: Foto por mim - MAM

sábado, 4 de dezembro de 2010

nos mares, dos amares ...


"Ela ama o mar. E sente falta dele quase sempre. É nessas horas que ela o busca em tantos outros a'mares'. "Suponho que me entender não é uma questão de inteligência e sim de sentir, de entrar em contato. Ou toca, ou não toca".

(Naira Mota +)


obs: Foto por mim -MAM

quinta-feira, 2 de dezembro de 2010

De cabeça...

Posso estar indo muito mais rápido do que eu deveria, afinal preciso pensar em cada passo, não posso mais pisar em falso, não quero mais sofrer. Mas sabe, eu quis evitar, mas não pude reagir. Não consigo mais não pensar em você, meu corpo viciou em você. Minha memoria corporal é você. Mas eu mesma já tinha dito que não queria mais sofrer, que eu não iria mais me apegar, me envolver. Mas foi algo inevitável. Se amanhã não for nada disso, caberá a mim esquecer, já dizia Lulu Santos. Mas até que eu gosto de viver essa loucura de não saber ao certo se vai dá certo ou se é só uma aventura. É bom saber, que ao menos agora, seu sorriso é meu. Você foi tudo o que eu não pude evitar. Mas pra que evitar algo que, nem bem ao certo eu sei se irei sofrer? Sofrimento por sofrimento, escolho o incerto. Então será assim. Me lancei de cabeça, não sei onde vou mergulhar, mas espero que seja no seu coração, na parte mais aconchegante de ficar.

Pelo Tempo que For

Havia uma estrela, no mais alto céu, escondida por nimbos. Ela tinha seu próprio brilho, que por sinal, era muito forte. Mas ninguém, até ele, conhecera seu brilho, afinal as nuvens escuras não deixavam o seu brilho sobressair. Bom, ele andava pelas nuvens, também cansado de nimbos que não permitem, pessoa alguma, o ver. Então o destino veio, e uniu histórias iguais, com dores iguais, e conquistas diferentes. Era o momento perfeito. Os dois já tinha decidido não querer mais brilhar para o amor. Ambos estavam cansados de tentar, tentar, tentar, e simplesmente nada acontecer. Andavam meios cabisbaixo por esse tão grande céu, onde existem inúmeras estrelas brilhantes, e satélites naturais reluzentes. E então estavam prontos. O destino então começou a agir. O mundo parou, o universo cresceu, e uma explosão de luz aconteceu. Eram as luzes que nunca antes tinha sido vistas e agora. Bom, eles se encontraram, depois de terem esperado tanto tempo. E brilharam como nunca antes, mas dessa vez, fora um brilho intenso, diferente dos normais, fora um brilho... do amor. Era o amor que nunca havia brilhado tanto naquelas constelações. E brilhou naquele momento, onde não havia nenhuma nuvem para atrapalhar. Foi então assim que eles começaram a brilhar, e iluminar historias iguais as deles, em um dia normal de Novembro, ou de até mesmo Dezembro, perto do amanhecer.

quarta-feira, 1 de dezembro de 2010

pra sempre distraídos ...



"Havia a levíssima embriaguez de andarem juntos, a alegria como quando se sente a garganta um pouco seca e se vê que por admiração se estava de boca entreaberta: eles respiravam de antemão o ar que estava à frente, e ter esta sede era a própria água deles.

Andavam por ruas e ruas falando e rindo, falavam e riam para dar matéria peso à levíssima embriaguez que era a alegria da sede deles.
Por causa de carros e pessoas, às vezes eles se tocavam, e ao toque - a sede é a graça, mas as águas são uma beleza de escuras - e ao toque brilhava o brilho da água deles, a boca ficando um pouco mais seca de admiração.
Como eles admiravam estarem juntos!
Até que tudo se transformou em não. Tudo se transformou em não quando eles quiseram essa mesma alegria deles. Então a grande dança dos erros. O cerimonial das palavras desacertadas. Ele procurava e não via, ela não via que ele não vira, ela que, estava ali, no entanto. No entanto ele que estava ali. Tudo errou, e havia a grande poeira das ruas, e quanto mais erravam, mais com aspereza queriam, sem um sorriso. Tudo só porque tinham prestado atenção, só porque não estavam bastante distraídos. Só porque, de súbito exigentes e duros, quiseram ter o que já tinham. Tudo porque quiseram dar um nome; porque quiseram ser, eles que eram. Foram então aprender que, não se estando distraído, o telefone não toca, e é preciso sair de casa para que a carta chegue, e quando o telefone finalmente toca, o deserto da espera já cortou os fios. Tudo, tudo por não estarem mais distraídos."

(Clarice Lispector)

terça-feira, 30 de novembro de 2010

Lulu Santos- Um certo Alguem



"Quis evitar teus olhos
Mas não pude reagir
Fico à vontade então
Acho que é bobagem
A mania de fingir
Negando a intenção

Quando um certo alguém
Cruzou o teu caminho
E te mudou a direção

Chego a ficar sem jeito
Mas não deixo de seguir
A tua aparição

Quando um certo alguém
Desperta o sentimento
É melhor não resistir
E se entregar

Me dê a mão
Vem ser a minha estrela

Complicação
Tão fácil de entender
Vamos dançar,
Luzir a madrugada
Inspiração
Pra tudo que eu viver"

quarta-feira, 24 de novembro de 2010

Abre o teu refúgio ...

"Oh bela, gera a primavera
Aciona o teu condão
Oh bela, faz da besta fera
Um príncipe cristão
Recebe o teu poeta, oh bela
Abre teu coração
Ou eu arrombo a janela"


Enquanto eu lia sobre a pessoa errada, eu me lembrava de você. Talvez você não seja a certa, e nem talvez a errada. Talvez não seja a pessoa. Fostes apenas algo passageiro, talvez sem fim. Mas quem sabe, quem vai saber? Meu coração me engana, a partir do momento que ama quem me engana. Enganar sim. Enganar com esse seu jeito tão doce e lindo, que se é de admirar, e depois me fazer sofrer. O mais engraçado é que a minha admiração por você continua a mesma, intacta. Bom, você me ajudou a viver, a aprender que tem oportunidades nas nossas vidas que são únicas, e se disfarçam com a mais perfeita camuflagem. Na verdade, o imperfeito é o perfeito. O imperfeito é só uma camuflagem do que eu realmente é o perfeito, a essência. O ápice de tal coisa, é ai que vemos o perfeito. Ele se disfarça, ele só descoberto pela inocência. Afinal se o perfeito se colocasse em exposição com esse nome, ele seria o mais cobiçado. Mas não, simplesmente ele só se revela aos puros de coração. Logo me pego pensando, qual seria o destino na Fera, mais uma vez o perfeito camuflado, se não fosse a pureza da Bela? Do que seria ele, se não achasse refugio em Bela, lugar que ele pudesse se mostrar. Se revelar. É algo preso que queria sair, e que quer sair, mas precisa do refugio. Decidi então tentar ser esse refugio que me leva além, que me mostra o perfeito, o mais puro, a essência. Decidi abrir as portas desse refugio que tem nome de coração, pra que as camuflagens caiam, e enfim eu possa ver o que desejo ver.

terça-feira, 23 de novembro de 2010

Ainda doi...

"Quem tentar possuir uma flor,
verá sua beleza murchando.
Mas quem apenas olhar uma flor num campo,
permanecerá para sempre com ela.
Você nunca será minha e
por isso terei você para sempre
."


Tudo evidenciava que iria ser uma noite normal. Dormi rápido. Estava muito cansada, não pensei em nada antes de dormir, simplesmente, apaguei. Hoje quando acordei meus olhos estavam úmidos. Sinal de te eu havia chorado. Alguém voltou para assombrar as minhas noites. Há quanto tempo não sonhava contigo? Bom, nem sei. Eu só queria saber por que voltei a sonhar com você. Afinal não existem mais motivos pra sonhar contigo. Você está bem demais com ela. Ou não. Não sei o porquê, sei que nos meus mais profundos sonhos, inesperadamente você aparece. E pelo menos neles eu posso te ter. Bagunçar-lhe o cabelo, fazer carinhos, dizer que amo. Bom, isso não é pra mim. Num momento em que eu achava que estava tudo muito bem, você me aparece, e eu deixei você passar, tola eu, sem saber que mais tarde eu mesma iria sofrer. Sabe, pensei que já tinha passado a dor, ou mesmo o tempo havia-a anestesiado. Bom, basta um sonho pra tudo voltar. Mas eu não quero que isso volte como diversas vezes já voltou, pra me fazer sofrer. Por que simplesmente você não pode sumir do meu inconsciente? Talvez eu não sonhasse mais com você. Se bem que não sei se não sonhar mais com você vai me ajudar, ou simplesmente piorar. Nos sonhos posso te ter. Talvez seja por isso que a dor que hoje eu sinto, seja mais fraca do que eu sentia há quase dois anos atrás. É se tornou uma cicatriz, que assim como as cicatrizes da pele às vezes inflamam ou doem mesmo depois de anos e anos daquela cirurgia, às vezes depois de anos e anos essa também dói. O que fazer quando doer? Não tem um remédio especifico, só tem mesmo o futuro. Ele nos dá toda a certeza que algo vai mudar. Mas dói esperar esse futuro, porque, querendo ou não, já se passaram quase dois anos, e esse futuro que parece tão incerto, me ajudou, ao menos, a aguentar a dor. Dor, que se não fosse esse futuro, eu hoje não conseguiria, ao menos, te ver com outra, mesmo que essa outra eu tenha um carinho grande. Isso é de realmente parar pra pensar, amor. Amor não é querer prender, ou sequestrar só pra você. Amor é mais do que nunca deixar livre. Livre para escolher qual caminho trilhar. Afinal, amor é desejar o melhor, mesmo que esse melhor não seja comigo. Mesmo que o melhor seja ele estar com ela, bagunçando o cabelo, ensinando assuntos pouco entendidos pelo o mesmo, enfim, amando-lhe. Sinto-me bem em saber que estas bem, morrendo de amor e continuando vivo como você mesmo diz. Mas sou humana, sofro com isso, porque apensar de tudo, eu o amo, e o queria comigo. Mas sabe como nesse mesmo sonho alguém me disse que era a vida, ela é assim, simplesmente, porque é. E então eu posso ter certeza, que se ao menos posso te olhar, te terei para sempre dentro no meu coração.

segunda-feira, 22 de novembro de 2010

É só reflexo do coração



"Tanta coisa foi acumulando em nossa vida
Eu fui
sentindo falta de um vão pra me esconder
Aos poucos fui ficando mesmo sem saída

Perder o vazio é empobrecer"
A verdade só pode estar nos olhos de quem a vê quando ela está depositada no coração a se observar. Quero olhar-te assim, ver toda a tua verdade dentro de você mesmo. Não quero ser a dona da verdade. Quero apenas enxerga-la dentro de ti. Descobrir, em cada pedaço do seu coração, tão calejado, a verdade que me impulsionará a vive-lá. Percebo o quando é difícil tentar descobrir essa verdade que eu tanto quero enxergar. Sei o quando doi remexer nas cicatrizes para então assim descobri-la. Mas é necessário sangrar pra então, sarar. Vejo cadeados que cercam o ser coração de me mostrar a sua verdade. Preciso achar as chaves de cada corrente dessas, mas elas estão dentro de mim mesma. Agora será a minha vez de sangrar, preciso sangrar contigo, para enfim, conseguir. Serás então sangue do meu sangue, um só coração, uma só verdade. Mas quando tendo, você me pergunta se vai doer. Doer é a única certeza que eu tenho. Afinal não há verdade sem dor, ou até mesmo amor sem dor. Doi porque encarna em nós, faz parte de nós. E a dor, só passa de uma consequência frustrada de tentar arrancar algo que é nosso, é nosso coração. Por isso tantos calos e cicatrizes. Digo isso em visão do amor. Bom, se deixares eu apenas tentar, prometo decifrar-te em apenas um olhar...


domingo, 21 de novembro de 2010

Dois anos de

... PEN DRIVE!

"Dia 18 foi o seu aniversário. Não sabia o que te dar de presente. Pensei hoje antes de dormir em te dar o céu. Mas ele é tão grande que não ia caber numa caixinha, eu até poderia dar um jeito, mas eu ainda não encontrei um bom lugar para por as estrelas."

(R. P. Bráz- modificada)


obs: Hoje é dia 21, sim, eu sei que me passei, o aniversário foi dia 18! Leia o ultimo post AQUI !

Não adianta fugir

"...tudo o que se vê não é
igual ao que a gente viu há um segundo
tudo muda o tempo todo no mundo
não adianta fugir, nem mentir pra si mesmo
agora, há tanta vida lá fora...
"

Me sinto sufocada por esse medo que me impede de ver o novo horizonte. Medo do novo, medo do velho. Tenho medo. Quero fugir, mas tenho medo de ao deixar minhas pegadas na areia, elas não fiquem mais ali, a me orientar como voltar. Tenho medo que assim como minhas pegadas, o meu pedaço de pão no caminho suma, que os mais lindos passarinhos me deixem só, não me mostrem o meu referencial, a minha volta. Medo da mudança. Medo do amanhã, porque é o amanhã que vai me dizer se o hoje foi bom, e se ainda há pegadas no chão. E se não houver mais? Do que adianta ir, se vou estar sempre presa as minhas marcas, ao meu passado? Quero ir, mas também quero ficar. Tenho medo de sofrer. Medo da multidão me levar e eu não poder voltar. Medo do relógio que gira e muda tudo. Tempo, é o melhor ou o pior remédio. Tenho medo que o tempo passe e feche minhas cicatrizes, porque na verdade, estou tão acomodada com elas, que não sei se parar de sangrar ira tirar a dor, ou tão somente, aumenta-la. Mas sabe, tenho medo é do possível, porque o possível é mais fácil, tudo passa, quando mais fácil vem, mais fácil vai. Eu gosto mesmo do impossível, gosto de lutar, mas ainda sim tenho medo. Medo de perder e não saber recomeçar. Sabe, tenho medo de perder meu maiores tesouros, como já perdi tantos. Mas já sabe que a vida vem em ondas como o mar, e talvez nessas ondas, o medo se afogue, mas como disse, tenho medo do que iria acontecer comigo sem o medo, porque afinal, nós bem sabemos, que as vezes o medo é nosso melhor amigo...

terça-feira, 2 de novembro de 2010

Observar

___Era de madrugada e chovia. Acordei com o barulho da chuva. Havia gotas se deparando com a janela do meu quarto. Mas uma em especial. Havia muitos obstáculos para ela ir cumprir a sua missão. Molhar a terra. Mas na verdade ao menos eu saberia qual era a missão dela. Talvez fosse só me observar dormir, mesmo que, sem sabera ela, com insónia.
___A via tão presa enquanto as outras tão livres, soltas para a direção do vento. E ela ali parada. Parada pois seu obstáculo impedia a ação do vento. Olhei pro horário, era hora de voltar a dormir. Mas não. Eu continuei a observar.
___A força de vontade, que não é propriedade nossa. Força que nos leva a admirar. Via aos poucos ela se esparramando. Esparramar-se não é dividir-se. Ela não se dividia. Elas enfrentavam juntas, mas não se dividiam. E me peguei pensando, o como é fácil para nós apenas escrever um bilhete, deixa-lo em baixo da porta, escrito adeus. Mas ela não sabera viver sem a sua outra metade. E então, ela tentou, tentou, tentou, e conseguio. O vento a levou.
___Levantei e chorei. Minhas lágrimas rolavam pelo meu rosto e ele continuava seco. Não sabera eu que aquelas lágrimas era o sinal que valeu observar. Mas ao mesmo tempo eu percebera que minhas lágrimas rolavam inteiras, não deixando nem se quer uma molécula para umedecer meu rosto. E foi assim que eu soube que aquela gota que se foi, estava dento de mim. Ela era eu...eu era a gota.

quarta-feira, 20 de outubro de 2010

novo banco, de novo.

"Se amanhã não for nada disso
Caberá só a mim esquecer
E eu vou sobreviver...
O que eu ganho, o que eu perco
Ninguém precisa saber"




Sento nesse novo banco, dessa tão velha, e sem cor, praça. Eu, cansada de ver em preto e branco, esse lugar que já foi palco de tantas peças da minha vida, peças que hoje estão em sépia; vejo esse tão novo banco. Posso até ver cor nele. Descobri que esse banco é só a minha fuga de todas as minhas fugas. Bom, ele não é tão novo assim. Lembro-me dele, tão sem cor e tão sozinho. Não sabera eu que o mesmo foste reformado aos meus olhos, aos meus sentidos. Já sentei em tantos bancos que se quebraram, que perderam a cor, que deixaram de ter o seu próprio brilho. Mas esse banco ofusca toda a praça que não me faz bem. É tanta cor, tanta luz, é tanto vento. Vento, que pelo barulho, sabemos que vem de novos horizontes. Me sinto tão segura sentada aqui, mas prefiro esconder, deixar subentendido. Não quero que esse vento leve, mais uma vez, esse meu lugar seguro, essa cor, esse brilho. O melhor é que enquanto estou aqui, nenhuma lembrança ruim vem me assombrar, elas morrem, enquanto eu começo a viver, viver intensamente, como nunca.





quarta-feira, 29 de setembro de 2010

voar sem ter onde chegar ...

" (...) Eu conheço a imensidão do céu pássaro que sou,
Mergulharei de vez, uma vez ou três.
Duzentos por hora, ou algo mais,
Na velocidade de encontrar você, te merecer.
Voar, sem ter onde chegar.
E de lá do céu, formaremos dois em um só,
Fugirei da chuva, beijarei o sol. "


____Estou voando, voando alto. Daqui de cima eu posso te ver melhor. Deitada nas nuvens e ninada pelo vento. Poder voar a duzentos por hora ou algo mais, só para te ver chegar. Poder daqui te olhar e simplesmente te amar. Fantástico é voar e te amar. De tanto voar eu te vi, te encontrei. Meu sonho era chegar mais perto, mas, sempre que chego amanhece, e eu tenho que voar. Voar para o alto. Te vejo tão longe de lá, tão pequeno. Prefiro o mais perto, o mais definido, o mais quente; o mais perto de você. Olha tem uma nuvem aqui a te esperar. Ao meu lado. Vem voar a dois. Mas para um vôo duplo, precisamos de duplas decisões. Você precisa largar o chão firme, a razão. Já eu preciso largar a minha rotina de beijar o Sol. Preciso me jogar, sem ter um vôo planejado. Voar sem ter onde chegar. Talvez quando eu me jogar eu encontre você no caminho, tentando me encontrar. Precisamos romper esse entremeio entre nós. É esse espaço de tempo entre os dois extremos que me deixa tão angustiada. Bom, chegou a hora. Esse entremeio vai acabar...1,2,3...

DIREITOS AUTORAIS

Os direitos autorais são protegidos pela lei nº 9610/98, violá-los é crime estabelecido pelo artigo 184 do Código Penal Brasileiro.

Art. 7. São obras intelectuais protegidas as criações do espírito, expressas por qualquer meio ou fixadas em qualquer suporte, tangível ou intangível, conhecido ou que se invente no futuro.

Art. 28. Cabe ao autor o direito exclusivo de utilizar, fruir e dispor da obra literária, artística ou científica.

Art. 29. Depende de autorização prévia e expressa do autor a utilização da obra, por quaisquer modalidades.