segunda-feira, 7 de fevereiro de 2011

Emendas nossas de cada dia.

Quando as forças dos ressentimentos acabam, cessam. Quando a raiva não atropela o amor. Quando o orgulho se deixa quebrar, deslizar, se espatifar no chão. O perdão nasce, como uma bela flor, que mesmo ainda amarrotada não perde sua beleza, muito pelo contrário, é por esse fato que ela se sobressai das outras. É uma flor que nasce junto com o Sol. Uma flor, que ao contrário das outras, não se orgulha de estar nascendo junto com o Sol. Oh, é uma flor humilde. E suas doces pétalas, amarrotadas, são o sinal que a mesma é o perdão.

Laços são construídos ao tempo. E já dizia Shakespeare que não importa quão boa seja uma pessoa, ela vai feri-lo de vez em quando e você precisa perdoá-la por isso. E o que mais encanta em alguns laços, assim como nas rosas, não é o seu ‘tamanho’, ou a sua ‘beleza’. E sim quantas emendas têm. No caso das rosas, amassos. As emendas mostram o quão belo é o laço.

Eis o segredo dos laços, as emendas são belas.

Quão mais belo o laço, tenha certeza, mais forte és. Cada vez que perdemos um pedaço do laço que carregamos nos sentimos mal. É como se nós perdêssemos um pedacinho do chão. Perdemos pedaços dos nossos laços em coisas, peço perdão pela palavra, tão ‘fúteis’. Perdemos por uma palavra, por um erro, por um mal entendido, perdemos até por coisas que nunca aconteceram. É importante parar para pensar, até onde os fatores externos podem mudar sentimentos? Bom essas coisas, talvez, não sejam assim tão fúteis. Elas apenas nos mostram que mais frágil do que a rosa, ou do que qualquer outra coisa no mundo, somos nós. Somos nós quem julgamos os erros que nos fazem perder pedaços, ou melhor, a sociedade. Até que ponto nós nos deixamos perder por erros, que não passam de ERROS? Enfim, cada um constrói a sua própria estrada, cada um sabe o que te tira pedaços e se realmente vale a pena perdê-los, ou não .

Mas quando nós deixamos toda aquela petulância do orgulho se espatifar no chão, surgem linhas. Linhas que servirão para fazer as emendas. Ai é quando se começa a emendar. Cada pedacinho que nós perdemos, aos poucos, nós começamos a costurar de volta nos nossos laços. Há casos, dos donos do laço, onde esses pedaços não são costurados pelo mesmo, mas sim por quem, por um acaso, ou até mesmo ironia do destino, acha-o no chão. O que levaria a uma pessoa a parar tudo, parar sua ‘vida’ durante aqueles minutos para emendar o laço de um suposto desconhecido? Não sei ao certo, mas gosto de acreditar que fora a sua própria experiência em emendar o seu.

Enfim quando se termina de emendar, temos um laço, perdão pela redundância, emendado. Um laço não mais uniforme. Ah, na verdade temos um laço lindo!

E se eu perguntasse a um pequeno menino com cabelos dourados, cor de trigo, no meio do deserto e embaixo das estrelas se para ele “havia algo mais belo que um laço emendado?” Sem dúvidas sua resposta seria mais um hieróglifo, tais como,Ele é a própria tradução do amor”.

2 comentários:

' Yasmin Hanny disse...

Adorei aqui Fabibs ! :)
Sério meeesmo. Cada textãaao, que definitivamente não se dá pra ter um tumblr. A não ser que você realmente queira, pois não tem limites de caracteres. hahaha Mas enfim ! Parabéns viu ? Aqui é demais. :*

' Yasmin Hanny disse...

"Laços são construídos ao tempo." E não importa o quão longo este seja, pois quando realmente é atado, pode se levar toda uma vida para desatar. Utilizo isso como base para a explicação de amizades que duram uma vida toda, e permanecem intactas. :}

DIREITOS AUTORAIS

Os direitos autorais são protegidos pela lei nº 9610/98, violá-los é crime estabelecido pelo artigo 184 do Código Penal Brasileiro.

Art. 7. São obras intelectuais protegidas as criações do espírito, expressas por qualquer meio ou fixadas em qualquer suporte, tangível ou intangível, conhecido ou que se invente no futuro.

Art. 28. Cabe ao autor o direito exclusivo de utilizar, fruir e dispor da obra literária, artística ou científica.

Art. 29. Depende de autorização prévia e expressa do autor a utilização da obra, por quaisquer modalidades.