segunda-feira, 22 de novembro de 2010

É só reflexo do coração



"Tanta coisa foi acumulando em nossa vida
Eu fui
sentindo falta de um vão pra me esconder
Aos poucos fui ficando mesmo sem saída

Perder o vazio é empobrecer"
A verdade só pode estar nos olhos de quem a vê quando ela está depositada no coração a se observar. Quero olhar-te assim, ver toda a tua verdade dentro de você mesmo. Não quero ser a dona da verdade. Quero apenas enxerga-la dentro de ti. Descobrir, em cada pedaço do seu coração, tão calejado, a verdade que me impulsionará a vive-lá. Percebo o quando é difícil tentar descobrir essa verdade que eu tanto quero enxergar. Sei o quando doi remexer nas cicatrizes para então assim descobri-la. Mas é necessário sangrar pra então, sarar. Vejo cadeados que cercam o ser coração de me mostrar a sua verdade. Preciso achar as chaves de cada corrente dessas, mas elas estão dentro de mim mesma. Agora será a minha vez de sangrar, preciso sangrar contigo, para enfim, conseguir. Serás então sangue do meu sangue, um só coração, uma só verdade. Mas quando tendo, você me pergunta se vai doer. Doer é a única certeza que eu tenho. Afinal não há verdade sem dor, ou até mesmo amor sem dor. Doi porque encarna em nós, faz parte de nós. E a dor, só passa de uma consequência frustrada de tentar arrancar algo que é nosso, é nosso coração. Por isso tantos calos e cicatrizes. Digo isso em visão do amor. Bom, se deixares eu apenas tentar, prometo decifrar-te em apenas um olhar...


Um comentário:

Bruuh Fevers disse...

que texto ótimo!!
Parabéns pelos 2 anos de blog!O meu acabou de fazer 1 ano,olha lá

http://imodelblog.blogspot.com/

njos

DIREITOS AUTORAIS

Os direitos autorais são protegidos pela lei nº 9610/98, violá-los é crime estabelecido pelo artigo 184 do Código Penal Brasileiro.

Art. 7. São obras intelectuais protegidas as criações do espírito, expressas por qualquer meio ou fixadas em qualquer suporte, tangível ou intangível, conhecido ou que se invente no futuro.

Art. 28. Cabe ao autor o direito exclusivo de utilizar, fruir e dispor da obra literária, artística ou científica.

Art. 29. Depende de autorização prévia e expressa do autor a utilização da obra, por quaisquer modalidades.